Home
Home
Noticias
Opinião
Documentos
Deputados e Autarcas
Europeias
Links
lona_bloco_esq3.jpg 
174498_100000543522837_4418365_n.jpg 

adere.jpg

videos_parlamento1.jpg

tempos_de_antena1.jpg

Newsletter






imagesca50a94m.jpg 
imagescaf9tpoc.jpg 
MEGA ALMOÇO
almoco27set15.jpg

Pela modernização da linha do Douro Imprimir e-mail

Comunicado das distritais do Bloco de Esquerda de Bragança, Porto e Vila Real. 

linha do douro

 As recentes queixas de operadores turísticos sobre a degradação do serviço ferroviário na linha do Douro só vieram confirmar os alertas e as vozes das populações que desde há anos vêm tomando posição contra o abandono daquela ligação ferroviária pelas sucessivas administrações da CP

 

Em Dezembro de 1887, com a inauguração do último lanço da linha do Douro entre Pocinho e Barca d’Alva e a ponte internacional sobre o rio Águeda, alcançou-se a ligação com a Espanha, que também adoptara a bitola de 1,67 m. A difícil construção ao longo do rio Douro tinha tido início em Julho de 1873, demorou quase 14 anos.

 

Durante o regime de Salazar e Caetano não houve praticamente desenvolvimento dos caminhos de ferro em Portugal. Depois, é sabido que durante as décadas de governo de Cavaco Silva, quase todo o investimento na área dos transportes foi para a rodovia. Em 1988 foi encerrado o troço ferroviário entre Pocinho e Barca d’Alva. A supressão de ligações, o uso de equipamento ferroviário envelhecido e a falta de lugares sentados em muitos dos trajectos passaram a fazer parte do dia a dia dos passageiros daquela linha.

 

Em 2001 a Unesco classificou 13 concelhos do Alto Douro vinhateiro como Património Mundial da Humanidade. No processo de candidatura foi até elaborado o primeiro (e único até hoje) Plano Intermunicipal de Ordenamento do Território, que previa a definição duma estratégia para a salvaguarda e gestão da paisagem cultural. O essencial do Douro, para além do xisto do solo, das montanhas, do rio e da força da natureza, são as pessoas. E o transporte ferroviário é um meio poderoso para garantir o desenvolvimento económico e social de toda a região.

 

 

O Plano “Ferrovia 2020”, no seguimento do PETI 3+, prevê a conclusão ainda em 2016 das obras de electrificação e melhoria da sinalização até ao Marco de Canaveses, com um custo total de 14 milhões de euros. Mas as populações da região do Douro sabem que nenhum dos planos de modernização da linha do Douro foi cumprido. Há 6 anos, o PROT-N até previa a electrificação da linha até à Régua… E o perigo de encerramento do troço da ferrovia até Pocinho é bem real.

 

Para as Coordenadoras Distritais do Porto, Vila Real e Bragança do BE impõe-se a rápida adjudicação de obras de electrificação e arranjo de estações até à Régua e posterior requalificação do troço ferroviário até ao Pocinho e além. Continuaremos a lutar pela modernização da linha do Douro.

 

 

20/Novembro/2016

 

As Coordenadoras Distritais do Bloco de Esquerda

 Porto, Vila Real, Bragança

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >
14993311_1064715030307330_3817998840497024648_n.jpg
OE2017
banner_xconv.jpg
Candidatos
autoc1_2015.jpg
Vota BE
tit_webloco.png
 Portal Esquerda.net
 Portal do Bloco de Esquerda
 Portal do Grupo Parlamentar do BE
bloco-nas-autarquias.jpg
beinternacional.jpg
Jornal
capajornalnov16.jpg
Vírus

capa virus

ParticipAcção
participa22.jpg
Manifesto Eleitoral 2015
estrelabra.jpg
© 2017 Site Distrital de Bragança - Bloco de Esquerda
Joomla! is Free Software released under the GNU/GPL License.